sexta-feira, agosto 18, 2006

1.ª casa! E agora?

Não há amor como o primeiro. Assim reza o ditado e a experiência confirma-o. As emoções vividas com a primeira casa nunca se esquecem, nem voltam a repetir-se. Preparámos um guia para orientá-lo, com respostas e ideias para as dúvidas mais frequentes.


Texto de Helena Botelho Fotografias de Getty Images




1 - Briefing:

Nas decisões importantes da vida, é preciso ponderar todas as circunstâncias. Quais os aspectos que deve valorizar quando se escolhe uma casa? Deixamos algumas pistas.

Acessos – De início, pode parecer um detalhe sem importância, mas depressa compreenderá que o ideal é que a casa fique perto do emprego. Informe-se sobre a rede de transportes e as horas de maior congestionamento de trânsito

Estacionamento – Nas cidades, este é um dos aspectos determinantes na escolha de uma habitação. Nada se compara ao conforto de se sentir em casa assim que abre o portão da garagem

Exposição solar – Visite o apartamento em diferentes horas do dia. Assim poderá verificar in loco a incidência da luz solar

Ruído – Mais um motivo para revisitar a casa de manhã, à tarde e à noite. A proximidade de uma avenida movimentada, uma indústria ou uma zona de bares pode revelar-se um grande inconveniente

Serviços – Escolas, zonas verdes, supermercados, bancos, correios, centros de saúde… O ideal seria ter todos estes serviços ao virar da esquina.

2 - Onde procurar:

Comece por definir o local onde gostaria de viver. Com muito empenho e uma pitada de sorte encontrará a casa com que sempre sonhou.

Anúncios de rua – De nariz no ar, passeie na zona escolhida. Os cartazes pendurados nas janelas são o melhor ponto de partida para começar a visitar casas

Jornais – A secção de anúncios dos jornais continua a ser uma boa fonte de informação; encontrará uma pequena descrição do que poderá encontrar

Internet – É a pesquisa mais fácil, rápida e eficaz. Os anúncios online têm como principal vantagem poder visionar imagens ou filmes da própria casa. Assim, poderá fazer uma pré-selecção mais criteriosa

Imobiliárias – Se recorrer aos serviços destas empresas, leia os contratos com muita atenção. Alguns propõem exclusividade, solução que pode trazer vantagens aos vendedores (maior empenho da agência intermediária e um prazo limite para concretizar o negócio)

3 - Ronda dos Bancos:

Comprar casa é cada vez mais a opção escolhida pelos jovens que pretendem começar uma vida independente. As dúvidas começam a surgir na hora de recorrer ao crédito bancário. Saiba, antecipadamente, quais os passos a dar.

Simulações - Não tenha vergonha de fazer todas as perguntas que achar necessário. Consulte vários bancos e veja qual lhe oferece melhores condições

Spread - Este é o factor variável em todos os empréstimos. Em função da sua situação financeira, o montante do empréstimo, a avaliação do imóvel e outros factores variáveis, pode negociar este valor. Quanto mais baixo (tenha como referência valores entre 0,4 e 1,5 por cento), menor será a prestação mensal

Taxas de juro - Indexadas à Euribor (Euro Interbank Offered Rate é a média das taxas cobradas pelos principais bancos europeus), variam de três em três meses ou de seis em seis meses. Os sistemas de prestação fixa são geralmente mais elevados. As taxas fazem variar o valor da prestação

Despesas - Além da prestação mensal do empréstimo, faça as contas a todas as despesas fixas inerentes à compra de uma casa (seguros, condomínio, água, electricidade, etc.) e aos custos de todo o processo (registos, avaliação, imposto municipal…). As despesas não devem ser superiores a metade do valor do rendimento mensal.

4 - Documentos Necessários:

Podem variar conforme a instituição bancária.

-Bilhete de identidade

-Cartão de contribuinte

-Declaração da entidade patronal com indicação do vínculo contratual

-Recibos de vencimento (últimos 3 meses)

-Extractos bancários

-Declaração de rendimentos e nota de liquidação de IRS

-Planta de localização do prédio (caso este não tenha n.º de polícia)

-Planta do imóvel a hipotecar.

5 - Arrendamento jovem:

O Instituto Nacional de Habitação, através do IAJ (Incentivo ao Arrendamento Jovem), comparticipa até €249,40 do valor da renda, não podendo o incentivo ultrapassar 75 por cento do valor total da renda. Vale a pena tentar.Condições de acesso:

-Ter menos de 30 anos

-Tratando-se de um casal, nenhum dos elementos poderá ter mais de 30 anos.

-Ter declaração de IRS compatível com o valor da renda

-Ser titular de um contrato de arrendamento celebrado ao abrigo do actual Regime do Arrendamento Urbano (Decreto-Lei n.º 321-B/90, de 15 de Outubro)

-A casa ou fracção arrendada terá de ter licença de utilização emitida há menos de oito anos pela respectiva Câmara Municipal

-Não possuir outra casa própria ou arrendada para habitação permanente

-Não ter laços familiares com o senhorio

-Não praticar subarrendamento ou hospedagem na casa arrendada

Mais informações: www.inh.pt ou tel. 707 252 707.


6 - Documentos Necessários:

-Bilhete de identidade

-Título válido de autorização de residência, para os cidadãos estrangeiros

-Cartão de contribuinte

-Cédulas pessoais dos menores que façam parte do agregado familiar

-Contrato de arrendamento

-Procuração (se o contrato de arrendamento for efectuado por representante do senhorio)

-Licença de utilização da fracção arrendada, com menos de 8 anos, emitida pela Câmara Municipal

-Última declaração de IRS de cada elemento do agregado familiar (todos os anexos frente e verso)Últimas notas de liquidação de IRS de cada elemento do agregado familiar

-Último recibo de renda (exigível à data de entrega da candidatura)

-Carta do senhorio participando o aumento de renda nos termos exigidos por lei (caso tenha havido lugar ao mesmo)

-NIB de conta de depósito à ordem da Caixa Geral de Depósitos.


7 - Enfim só:

Depois de escolhida a casa, segue-se o próximo passo: decorá-la. Para quem vai viver sozinho pela primeira vez aqui ficam algumas regras elementares.

Mobiliário - Não compre tudo antes de se mudar. Instale-se primeiro, com algumas peças básicas (cama, sofá e um kit de cozinha) de forma a perceber o que realmente lhe faz falta.


Reciclar - Esta é a palavra-chave dos noviços. Aproveite todos os móveis antigos de família e adapte-os ao seu gosto e à sua casa: pinte uma cómoda; adapte uma estante; e, por que não, ter uma sala de jantar com cadeiras todas diferentes?

Versatilidade - Se o orçamento e o espaço disponível não forem tão alargados quanto desejaria, opte por peças multifuncionais (sofá/cama, mesa/secretária, banco/escadote, pouf/baú, estante/biombo)

Tecidos - Não imagina as inúmeras potencialidades deste material. Escolha as cores e os padrões certos e comece a cortar e a coser – cabeceira de cama, quadros, “portas” de armários e roupeiro… Se acha que não tem jeito para o faça-você-mesmo, não se iniba de pedir ajuda aos membros “mais prendados” da família

Inspiração - Pesquise em filmes, lojas, catálogos e revistas. Recolha as imagens dos ambientes e soluções que mais lhe agradam e construa o seu dossier de decoração. De seguida, parta em busca de peças iguais ou semelhantes.

9 - Cargas e descargas:

Com a ajuda de amigos ou recorrendo a uma empresa especializada há sempre algumas tarefas que não poderá deixar de fazer. Planeie tudo ao pormenor para evitar surpresas menos agradáveis.

Lista - Faça um inventário de todas as peças. Assim, não corre o risco de se esquecer de alguma. No caso de contratar uma empresa para efectuar mudanças, esta lista é obrigatória e imprescindível

Empresas - Imagine entrar na nova casa e ter tudo nos seus respectivos lugares: as louças nos armários, a roupa nas gavetas e os livros na estante. Algumas empresas especializadas tratam de tudo isto por si

Transporte - Se vai alugar uma carrinha para este efeito, previna-se com mantas, cobertores e correia para proteger os móveis e prender as caixas. Nesta fase, terá de contar com amigos mais corpulentos para dar uma ajuda no carregamento

Elevador exterior - Se quiser transportar móveis de grandes dimensões, sobretudo para andares altos, o melhor será contratar os serviços de uma empresa que disponha deste equipamento

Caixas - Em função dos objectos a transportar, escolha o tamanho e a resistência das caixas. Algumas empresas fornecem este material com a devida antecedência. Acondicione previamente as peças mais frágeis com papel, plástico ou panos para que não se danifiquem.

9 - Do velho se faz novo:


Um apartamento antigo, cheio de charme, num bairro típico, faz as delícias de muitos jovens que decidem sair de casa dos pais. Mas antigo não tem de ser obrigatoriamente sinónimo de desconforto. Meta mãos à obra e remodele o seu espaço.

Canalização – Foco de muitos aborrecimentos, não queira poupar na hora de mudar a canalização. Actualmente, as tubagens mais indicadas são as de inox e PEX

Instalação eléctrica – Se tiver de substituí-la, saiba que tem de recorrer a um profissional credenciado. Nas obras de maior envergadura aproveite para colocar várias tomadas em locais estratégicos e pondere a instalação de um equipamento de aquecimento

Pladur – Ideal para tectos falsos, paredes e divisórias, este material é barato e de fácil aplicação. No mercado encontra modelos higrófobos, indicados para cozinhas e casas de banho. Depois de aplicado, o pladur pode ser pintado

Pinturas – Não tenha medo de fazer experiências. Dê cor à sua casa pintando uma parede ou uma divisão no seu tom preferido. A tinta de azulejos é outra das soluções ao seu alcance para esconder os padrões mais desactualizados

Pavimento – Os novos sistemas de colocação de soalhos flutuantes são tão simples que qualquer um poderá fazê-lo. Com um encaixe de peças macho/fêmea consegue prescindir do uso de colas.

Casa na net:

www.rntrans.pt

www.luistrans.com

www.hertz.com.pt

www.europcar.pt/home.html

www.millenniumbcp.pt

www.bes.pt

www.montepiogeral.pt

www.lardocelar.com

www.portaldocidadao.pt

www.era.pt

www.remax.pt

10 - Perguntas frequentes:

1 - Tenho pouco espaço para arrumações. Que tipo de móveis devo comprar?

Quando o espaço é reduzido, o ideal é fazer móveis à medida em vez de comprá-los já feitos. Assim, aproveita-se todo o espaço disponível.

2 - Uma parede com cores vivas pode tornar-se cansativo?

Sim, em geral cria um efeito extremamente cansativo. Mas no caso de um hall não cansa, porque são locais de passagem. Em zonas de estar é melhor evitar pintar grandes superfícies de cores fortes.

3 - Como posso disfarçar os tectos demasiado altos?

A questão não é disfarçar tectos altos, mas sim valorizá-los. Em matéria de tectos, quanto mais alto melhor!

4 - Como devo decorar o hall de entrada?

Um hall é apenas um lugar de passagem e o que ele precisa é de um bom espelho, um móvel para atirar chaves e correio e pouco mais. É um bom lugar para criar um efeito dramático, usando por exemplo cores fortes.

5 - Quais as peças básicas para uma primeira casa?

É sempre melhor ter pouco e bom do que muita tralha (a tralha vem com o tempo). Básico é aquilo que mais se usa (cama, sofá, mesa, cadeira, etc.), pelo que é preciso definir prioridades e comprar o essencial, mas sempre pouco a pouco. Como dizia um amigo meu: “A pressa passa e a porcaria fica.”

6 - A minha casa tem pouca luz. Existem alguns truques para tornar o ambiente mais luminoso?

Ter pouca luz natural é sempre triste. Para ajudar aqui vão algumas sugestões: pintar paredes e tectos com cores muito claras, usar muita luz indirecta apontada ao tecto (candeeiros de pé alto), colocar um espelho grande para tentar rebater a fonte de luz natural e alegrar o ambiente com tecidos coloridos.

7 - Existe alguma regra para saber a altura certa para pendurar quadros?

Deve sempre ser determinada pela altura dos olhos. Em geral o olhar deve incidir sobre o centro do quadro. Se isto não for possível, por causa de algum móvel, existe sempre uma margem de manobra, mas se o quadro ficar muito acima ou abaixo do olhar desista e tente pendurá-lo noutro lugar.


11 - Juntar os trapinhos:

Com casamento ou sem ele, o começo de uma vida a dois é sempre um momento muito importante. Conferencie com a sua alma gémea e veja qual a melhor estratégia a adoptar para criarem a casa dos vossos sonhos.

Lista – Não se coíba de fazer uma lista de presentes. Os familiares e amigos mais próximos terão todo o gosto em contribuir para a decoração da nova casa~

Peças repetidas – Compare enxovais. Ainda está a tempo de trocar uma ou outra peça que tenham a dobrar. Na realidade, não vai precisar de dois trens de cozinha ou duas balanças de casa de banho

Mistura de estilos – Como conjugar a colecção de posters dos anos 70 do seu companheiro com os pratos antigos da sua avô? Fazendo cedências. No limite, se os estilos forem muito diferentes, atribua um espaço vital a cada um. Verá que é o início de uma decoração muito personalizada.

12 - Bem-vindos:

Convide os amigos para conhecer a nova casa. Prepare um jantar, um lanche ou um verdadeiro cocktail de inauguração com champanhe. O momento é de celebração.

Convites - Siga o protocolo à risca, mesmo que só convide os amigos mais íntimos, eles merecem. Envie com antecedência o convite pelo correio com todas as indicações práticas: dia, hora, morada e como lá chegar

Ementa - A escolha da ementa depende de vários factores: jantar sentado ou volante, época do ano (sopa fria ou quente), se a festa vai ser temática… Não se esqueça ainda de verificar se algum dos convidados é vegetariano ou alérgico a algum alimento

Decoração - É o ponto fulcral de toda a festa. Afinal, o propósito é dar a conhecer a nova casa. Esmere-se nos pormenores. Enfeite a mesa (sem exageros), reúna as flûtes para o brinde, espalhe velas perfumadas pela sala, compre flores frescas e distribua estrategicamente os pontos de luz

Música - Faça uma selecção prévia dos CDs que quer ouvir. A música deve servir para criar ambiente, permitindo que as pessoas conversem confortavelmente

Cartão - No final da festa entregue a todos os seus amigos um cartão de visita com a nova morada. Condição: seja criativo. Ofereça-o juntamente com uma pequena planta, um CD ou numa embalagem de incenso


Fonte: http://www.maximainteriores.xl.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário