quarta-feira, outubro 11, 2006

O que fazer depois dos estudos?

Abrir as portas do mercado de trabalho

Encontrar a oportunidade que desejamos, com as regalias que gostaríamos e boas perspectivas de carreira revela-se, cada vez mais, uma “missão impossível”. E as dificuldades aumentam quando se trata de dar o primeiro passo para a entrada no mercado de trabalho. Sem experiência profissional anterior, a procura de emprego revela-se muitas vezes uma tarefa ingrata e frustrante, em que os resultados tardam em chegar.

Ajudamo-lo a descobrir as diferentes possibilidades ao alcance dos recém-licenciados ou jovens à procura do 1ºemprego.

1. Estágio
É a principal porta de entrada no mercado de trabalho, sobretudo para recém licenciados que encontram nesta oportunidade a forma de se afirmar e conquistar um lugar no difícil mercado de trabalho. Por regra, pouco ou nada remunerados, os estagiários beneficiam a oportunidade de aprendizagem e contacto directo com profissionais da sua área de actividade, integrando-se em verdadeiras equipas de trabalho com responsabilidades e resultados a apresentar. Paralelamente, este tipo de experiências enriquecem o CV e ajudam a criar uma rede de contactos fora do leque da universidade, o que poderá ser útil para oportunidades futuras.

Vantagens: Contacto directo com a cultura e negócio da empresa; Aplicação prática de conhecimentos; Desenvolvimento de uma rede de contactos.
Desvantagens: Remuneração baixa ou inexistente; Tarefas rotineiras; Falta de responsabilidade e autonomia; Dificuldade em fazer-se ouvir dentro da empresa.

2. Negócio Familiar
Havendo um negócio de família, é natural que este seja ponto de passagem obrigatória para cada geração. Apesar desta opção nem sempre ser do agrado de quem está a começar a sua carreira, a verdade é que o vínculo familiar facilita a integração e a aprendizagem, com resultados notórios no desenvolvimento profissional.

Vantagens: Facilidade de adaptação; Flexibilidade; Bom ambiente de trabalho; Comunicação aberta e informal; Estabilidade.
Desvantagens Tradicionalismo; Isolamento; Dependência da estrutura familiar.

3. Part-time
Independentemente da relação que possam ter ou não com a área de formação, as experiências em part-time podem ser um factor muito positivo no CV, sobretudo no que diz respeito aos recém licenciados que normalmente apenas têm as suas habilitações académicas, sem qualquer complemento prático. À possibilidade de adquirir experiência profissional, acresce o factor remuneratório, que, longe de ser perfeito, poderá ser essencial à estabilidade e equilíbrio pessoal.

Vantagens: Trabalho por objectivos; Integração em equipas; Melhoria do CV.
Desvantagens: Falta de ligação à área de formação; Pouca responsabilidade.

4. Lançar o seu próprio negócio
A ideia de assumir o controlo do seu futuro e lançar-se no desafio de um negócio por conta própria poderá ser um forte atractivo para quem encara com desânimo as perspectivas profissionais do actual mercado de trabalho. Tendo a capacidade de investimento necessária, poderá escolher a área que mais lhe agrada e seguir o seu caminho como patrão de si próprio.

Vantagens: Autonomia; Satisfação; Projecto a longo prazo.
Desvantagens: Risco; Instabilidade; Investimento.

5. Procurar no estrangeiro
A possibilidade de sair do país e ir procurar oportunidades de trabalho no estrangeiro é cada vez uma alternativa para muitos recém-licenciados. Com facilidades acrescidas para cidadãos europeus, o mercado de trabalho internacional é um desafio aliciante para os mais “aventureiros” quer para o começo de carreira, quer como seguimento de uma carreira de sucesso.

Vantagens: Desenvolvimento pessoal; Contacto com outras culturas.
Desvantagens: Distância; Risco; Dificuldades de readaptação.

Fonte: Superemprego

Sem comentários:

Enviar um comentário